segunda-feira, 27 de junho de 2011

Boneca de pano

Meu corpo inteiro pede descanso, enquanto a música continua, eu só desejo poder parar, meus movimentos saem sem equilíbrio e a qualquer instante eu devo cair, eu sei que vou cair. Não posso parar, tenho um tempo a cumprir, meus movimentos têm que seguir a contagem do 8. Será que estou dançando em sincronia com os demais? Respiração, não posso esquecer, inspire e expire! Faça barulho; não tão depressa; não seja tão agressiva; acompanhe o resto {, , , , ,}; mais suave!
CAIO. Começo a rir; eles me encaram (de pé) - O que será tão engraçado? - Não sei o que esperam de mim, não dizem uma palavra. DIGAM ALGO! Queria que pudessem escutar os meus berros abafados dentro de mim. Eu me levanto e deixo algum comentário irônico ser o esconderijo de minhas fraquezas. Mas, por favor, não me levem a mal, apenas não pretendo voltar a ser uma simples boneca de pano, esperando ser manuseada. Ganhei movimentos e pensamentos e os executo, somente, conforme a minha música.

2 comentários:

  1. Gostei!!
    Bonequinha de pano que nada, bonequinha sem luxos, cheia de vida!

    ResponderExcluir